Psicodélica


The T-Pain effect e a música moderna
fevereiro 26, 2010, 6:12 pm
Filed under: Clave de Fá, Nerd, Review

A Antares Audio Technologies certo dia criou o Autotunes, terror dos vocalistas afinados, salvador dos incompetentes – e uma ferramenta muito interessante para os oportunistas. O rapper T-Pain usou o Autotunes de uma forma diferente: Ao invés de otimiza-lo para correção do pitch de forma suave, ele alterou os padrões de correção para rapidos e escrachados, criando um efeito que todos nós conhecemos e muitos adoram. Vamos a um pequeno exemplo:

Download Reebs – Su E O

Sim, sou eu cantando, com uma voz terrivelmente desafinada – o que no casa, apenas acentuará a ação do autotune.

Download Reebs – Su E O

Esta segunda já é o arquivo tratado com o autotunes e com um pouco de reverb e delay. Aqui já dá para ver exatamente do que estou falando. Sim, sim… Justin Timberlake, 50 cents, Timbaland e até mesmo a Cher (que foi a primeira a usar a coisa, diga-se de passagem). Esse timbre pode ser ouvido com maior ou menor frequencia no trabalho de todos, especialmente no daquele irritante Kenny West! Sim, ele talvez seja o representante do ápice deste estilo de som do vocal robótico.

Download Reebs – Su E O

E finalmente o mesmo vocal, com um pouco de compressão e alguma besteira de bateria por trás. Ainda que o trabalho de Áudio por trás destes artistas seja brutalmente mais complicado que simplesmente isso, já é possível ter esperanças de lançar o seu próprio “Suuuuuicidaaal, suiiiicidal…” da vida.

Anúncios


Parabéns, Psicodélica.
fevereiro 11, 2010, 1:58 pm
Filed under: Sarcasmo

Acabei de ver nas estatísticas aqui do blog que alguem, ao buscar no google “Suruba Entre Irmãos” – não entremos no mérito do “por que”, por favor – teve por primeiríssimo resultado…

… este blog.

É quase um Oscar edipiano para mim.



Tenha medo Twitter
fevereiro 10, 2010, 6:02 pm
Filed under: Review, Sarcasmo

Tenha medo Twitter. Tenha muito medo.



2 Cousas
fevereiro 6, 2010, 12:08 pm
Filed under: Outros

I

Estou estagiando no Ministério Público do Pará faz algum tempo já. É tremendamente engraçado como um ambiente de trabalho pode se transformar em algo brutalmente repressivo caso você não se encaixe naquele perfil de funcionário domesticado que geralmente se prega.

Para quem não entendeu, olhe a foto que ilustra o cabeçalho do blog para entender um pouco melhor. Ter dreadlocks e ser funcionário público é meio como misturar manga e leite: Não mata,  como pregava minha avó, mas é ruim feito o diabo.

MAS, tem um lado bom de estagiar lá:

Todos os nossos bloquinhos de notas são feitos com folhas do processo de Eldorado dos Carajás. É como escrever em papiros feitos de pele humana! Genial.

II

Atentem para o relato feito no livro “História das Relações de Gênero” de Peter Stearns:

“Foi nesse contexto, logo após a morte do kamehameha, seu filho decidiu acabar com um tabu tradicional, o Kappu, que impedia homens e mulheres de comerem juntos. Num banquete de 1819, ele se juntou à mesa das mulheres, declarando que ‘os tabus estão no fim… os deuses são uma mentira’”

Se vocês não conseguem achar alucinante a frase proferida numa área extremamente religiosa na época como a polinésia (e proferida por uma autoridade local), pelo menos PIREM pelo nome do pai do cara ser Kamehameha.